Notas sobre Echinodorus macrophyllus (Kunth) Micheli, uma planta aquática ornamental e medicinal

English | Português

Felipe de Araújo Pinto Sobrinho* & Bruno Rezende Silva**
Imagens © Bruno Rezende Silva & Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Clique para aumentar

Conhecido como "Chapéu-de-couro", o Echinodorus macrophyllus é uma planta aquática nativa do Brasil de grande expressão popular. Pertence à família Alismataceae, sendo Echinodorus e Sagittaria os gêneros mais comuns. O primeiro possui flores hermafroditas e é restrito ao novo mundo, ocorrendo dos Estados Unidos à Argentina. Já o segundo apresenta flores de sexo separado na mesma inflorescência e tem distribuição mundial.

O nome popular desta espécie vem do fato de suas folhas ovaladas e levemente sagitadas se assemelharem aos chapéis usados no nordeste do Brasil. Também é conhecida como Chá-de-mineiro, Chá-de-campanha, Congonha-do-brejo, Erva-de-bugre, Erva-do-pântano e Chá-de-pobre. Sua ocorrência no Brasil abrange os estados de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.


São herbáceas perenes, aquáticas emergentes que ocorrem principalmente nas margens de rios, lagos, canais de drenagem e baixadas pantanosas, conseguindo sobreviver totalmente imersas por um certo período, apesar de não florescerem, além de tolerar curtos períodos de seca. Enraízam-se no solo mantendo suas partes inferiores imersas e expondo seus pecíolos, folhas e inflorescências compostas por belas flores com ca. de 5 cm de diâmetro de pétalas brancas com amarelo na parte basal. Apresentam infrutescências arredondadas de coloração castanha na maturação.

A forma mais comum de propagação do Chapéu-de-couro é a propagação vegetativa basicamente por fragmentação do rizoma (Castro & Chemale, 1995), além das sementes que germinam facilmente. Tem sido crescentemente utilizada em projetos paisagísticos pelo belo efeito de sua folhagem quando em grupo e pelas inflorescências que se prolongam acima das folhas. Contribui para este aumento de popularidade a sua rusticidade e rapidez de propagação e crescimento.

Possui também um imenso potencial medicinal com comprovadas ações depurativa, diurética, antiinflamatória, antiofídica e anti-reumática, sendo as folhas a principal parte utilizada da planta seja na forma de chá ou infusão. Estudos fotoquímicos sobre a família Alismataceae (Martins et al., 1995; Lainetti & Brito, 1980), encontraram entre os principais constituintes químicos: taninos, flavonóides, triterpenos, glicosídeos, equinodorosídeos, essências e sais minerais.

 

Um dos refrigerantes mais tradicionais do Brasil, o Mineirinho, com seu sabor único, utiliza em sua formula o concentrado do Chapéu-de-couro. De acordo com o fabricante o Chapéu-de-Couro é uma planta especial que conseguiu agregar à fórmula, um sabor agradável e totalmente diferente dos demais refrigerantes.

Espécimens de Echinodorus macrophyllus do Herbário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (RB)

References:

CASTRO, L.O.; CHEMALE, V.M. Plantas medicinais, condimentares e aromáticas: descrição e cultivo. Guaiba: Agropecuária, 1995. 196 p.

MARTINS, E.R.; CASTRO, D.M..; CASTELLANI, D.C.; DIAS, J.E. Plantas medicinais. Viçosa: UFV, 1995. 220p.

LAINETTI, R.; BRITO, N.R.S.. A saúde pelas plantas e ervas do mundo inteiro. Rio de Janeiro: Ediouro, 1980. 120p.

* Mestrando da Escola Nacional de Botânica Tropical. ENBT. IP/JBRJ
** Curadoria de Coleções Vivas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

WGI ONLINE Journal Table of Contents

Water Gardeners International
Home | Join WGI | Members' Exclusive | Gateway to Water Gardening